Comunicação e tecnologias

| EIXO TEMÁTICO

Comunicação e tecnologias

Democracia, Comunicação, tecnologias e sistema de justiça

O mundo da escrita e do papel, típicos do sistema de justiça, vem rapidamente se transformando, e as possibilidades de comunicação decorrentes de novas ferramentas tecnológicas impactam enormemente na democratização dos meios, assim como na produção, distribuição, acesso, transferência e responsabilização de dados. Em todas as dimensões do fazer, do pensar e do criar, há um traço cultural que caracteriza as sociedades e que se constitui num exercício perpétuo de construção do humano e da humanidade a demandar estratégias de ação e luta no sentido da consolidação de um sistema de Justiça democrático. Para tanto, é necessário compreender a formação dos indivíduos sociais como sujeito e de um povo como um corpo cultural.

Partindo-se dos objetivos, princípios e diretrizes norteadores do Fórum Social Mundial Democracia e Justiça, o debate deve focar nas interações existentes entre as comunicações, aí incluídas todas as formas de expressão artística e cultural, tendo em vista a velocidade da informação, a sociedade em rede, as diversas mídias, a livre manifestação do pensamento e acesso à informação e os impactos no sistema de justiça, e vice-versa.

Dentro dessa perspectiva, o eixo possibilita discutir a democratização dos meios de comunicação, do uso de imagens e informações estigmatizantes em relação a certos grupos sociais, uso  de tecnologias dentro do sistema de justiça. Perpassa também questões sobre o tempo e a duração dos processos, os impactos do trabalho midiático nas decisões judiciais e no funcionamento do sistema de justiça como um todo. E não poderia, também, deixar de enfrentar as questões inerentes às fake News (desinformações), hackers, segurança e sigilo processual, liberdade de imprensa (de expressão) e assédio judicial ao jornalismo e criminalização de expressões e atividades artísticas.

Propõem-se então as seguintes linhas temáticas visando à inscrição de atividades em várias formas e dimensões que nelas se possam inserir:

1. Democratização e universalização dos meios de comunicação.

2. Plataformização e Proteção de dados pessoais.

3. Limites da liberdade de expressão.

4. Liberdade de imprensa.

5. Conselho de imprensa.

6. Regulação das redes sociais.

7. Importância e efeitos dos algoritmos no processo democrático.

8. Assédio judicial ao jornalismo 9. Ocupação das redes sociais – estratégias.

10. Interoperabilidade dos sistemas de processos judiciais eletrônicos.

11. Efetividade e qualidade da prestação jurisdicional nas audiências judiciais virtuais.

12. Acesso à Informação.

13. Imageboards e crimes de ódio.

14. Campanhas de Desinformação.

15. Disparo em massa de notícia.

16. Fake News.

17. Direito Humano à Comunicação Pública, Privada e Virtual.

18. Uso de imagens e linguagens estigmatizantes

| TERMOS RELACIONADOS

Notícias

Capitalismo e desigualdades

FÓRUM SOCIAL MUNDIAL SOBRE JUSTIÇA E DEMOCRACIA COLOCA PORTO ALEGRE NOVAMENTE NA VANGUARDA GLOBAL

lobais, vinha conquistando a atenção do mundo em função do Orçamento Participativo. Um mecanismo de administração baseado em um modelo democrático, que proporcionava à população o pleno exercício da cidadania, por meio de plenárias temáticas em que eram discutidas e elencadas as prioridades em cada uma das 16 regiões da cidade. E assim Porto Alegre foi se estruturando, com a participação dos moradores que passaram a decidir sobre investimentos, projetos, o desenvolvimento e o futuro da cidade.

SAIBA MAIS
Capitalismo e desigualdades

O FSMJD e seus eixos

Seguindo a proposta de falar sobre os eixos do Fórum Social Mundial Justiça e Democracia trazemos hoje o Eixo 2 que irá debater sobre Democracia e as Forças Sociais. As considerações são de Maria Betânia Silva Procuradora de Justiça aposentada do Ministério Público de Pernambuco, membra do Coletivo Transforma MP, mestre em Ciências Práticas de Desenvolvimento pela Universidade de Brookes, Oxford, Reino Unido e diploma de Estudos Aprofundados em Sociologia Política,pela Universidade Paris VII, França.

SAIBA MAIS

Atividades

Publicações

Divulgações

Tradução